Sobre dezoito primaveras

Sobre dezoito primaveras

Nunca cheguei a escrever algo sobre meus dezoito anos, mais na realidade não achei necessário. Talvez por um instante eu quisesse voltar no tempo, aos quinze, para ser mais exata. Não foi uma época muito boa, afinal mudanças radicais na adolescência é o fim de qualquer pessoa, ou não. Mas, lá no fundo eu sabia que algo estava guardado para mim e queria muito bom.

Eu não sei se este texto é exatamente sobre ter dezoito anos, mais talvez seja sobre dezoito primaveras. Com as quais eu aprendi, amadureci e cresci  literalmente , porém a vida não é certa. Ora estamos felizes, ora estamos tristes. Algumas pessoas já me encararam e perguntaram: “você é bipolar?”. E na mais pura verdade eu não sou. Possa ser que eu tenha um surto de emoções, pois é tanta coisa dentro da minha cabeça, que existem horas que dá uma vontade de sumir.

Não são apenas dezoito primaveras que se passaram. São juntamente com ela, as trocas de estações. As trocas de emoções. As trocas de perfume, de pensamento. Talvez eu possa ainda ser uma adolescente tentando se encontrar ou uma adulta na pele de uma. No mínimo com essa idade todos vão te dizer algo sobre responsabilidades, bebidas, prisões e empregos. As conversas vão ser diferentes. Podem passar do sério ou ao calmo.

É como eu sempre digo e repito: a vida não é certa, por mais que você crie planos, aponte para objetivos e sonhos, ela não é e nunca vai ser. Você convive com o passado, às vezes nem vive no presente, mais no futuro… não adiantar planejar o futuro, ele muda. Assim como as primaveras.

A cada dia eu mudo a minha opinião sobre as pessoas, eu me apaixono rápido e depois não sinto mais nada. Não é por que eu sou fria. Não. É só que as vezes é a falta de coragem, o medo… as emoções todas misturadas. Não importa se a pessoa disse que gosta de mim por que eu cheiro a baunilha  nunca vou me esquecer disso , não importa se o cara que eu gosto está com outra pessoa ou com outros planos. A questão vai ser sempre o futuro e o que ele vai me trazer.

Não sabemos se teremos flores ou bastante sol. Talvez chova muito, talvez esquente bastante ou esfrie. Eu não sei se foi destino ou qualquer semelhança, pois assim como a primavera que não é certa eu também não sou.

Acompanhem o Camafeu da Lia nas redes sociais: Facebook, InstagramTumblr e Twitter.

Advertisements

2 thoughts on “Sobre dezoito primaveras

Gostou deste post? Comente!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s