A saudade se tornou a minha melhor amiga

A saudade se tornou a minha melhor amiga

E a semana está quase chegando ao fim e o único sentimento que eu tenho é de saudades. Porém, não é de qualquer saudade que eu estou falando e sim de você. Parece simples dizer isso, mas a tristeza é grande.

Eu sinto saudades das conversas que nós tínhamos, principalmente daquelas que você me fazia mil perguntas tentando descobrir mais sobre mim quando me contava piadas que não tinham sentido nenhum, e mesmo assim eu ria.

Eu sinto saudades quando inventávamos apelidos engraçados um para o outro, ou quando você me pedia um abraço. Ah, eu sinto muita falta disso.

Eu sinto saudades quando você vinha até mim nos intervalos para jogar conversa fora. Eu sinto saudades de quando você pedia para passar as tardes comigo, do seu olhar de bobo apaixonado – eu sorria por dentro quando te via assim.

Eu sinto saudades quando você apertava minhas bochechas e eu brigava com você por causa disso. Eu sinto saudades de quando você deitava a cabeça no meu ombro ou quando eu fazia o mesmo.

Eu sinto saudades quando você me enchia de beijinhos. Do seu toque quente – até por que eu sou um cubo de gelo -, ah… eu sinto falta quando tu dizia que eu era um floquinho de neve.

Eu sinto saudades de quando você dizia que eu era sua e de quando me chamava de amor. Eu sinto saudades quando você tomava certas atitudes. Saudades de quando dizia que me amava…

E agora? A saudade se tornou a minha melhor amiga. Você me tinha fácil demais, só não parecia capaz de cuidar do que possuía… E tudo que eu posso sentir no momento é saudades de você.

Acompanhem o Camafeu da Lia nas redes sociais: FacebookInstagramTumblr e Twitter.

Anúncios

Eu escolhi não gostar de você

Eu escolhi não gostar de você

Já fazem dias em que eu ando pensativa e isso está me cansando. Cansada por tentar ver algo onde não existe e isso machuca. Mais de qualquer forma o seu olhar, o seu sorriso, a sua voz e até mesmo o seu cheiro não significam nada para mim, não mais. Chega de passar horas tentando te esquecer quando eu já te esqueci. Chega de ver o seu rosto onde não deveria estar. Eu não quero ser egoísta plantando e nutrindo um sentimento falso. Eu não quero isso.

Eu só estou cansada dessa coisa chamada amor. Eu sei que este não é momento para mim. Não quero olhar para você e me ver lutando contra a indecisão. Eu sei que sou indecisa. Não quero te machucar. Não quero ver outro cara e lembrar de você. Posso parecer uma pessoa totalmente fria e ignorante nesse momento, mais eu disse que eu estou lutando contra algo que não existe.

Chega de receber elogios, eu sei que isso é apenas uma tática para me conquistar. Eu não quero nutrir um sentimento falso. Eu não quero me enganar como nas outras vezes. Eu não quero enganar o meu coração.

Só me deixe por algum tempo. Eu juro que eu tentei. Tentei de todas as maneiras desviar algo que meu coração não me diz. Não quero machucar a mim e muito menos você. Eu estou parando de lutar nesse momento. Eu… eu só estou fugindo desse sentimento. Estou parecendo uma fraca agora, não é? Tudo bem… talvez algum dia eu me lembre que fui forte o bastante para desistir.

Eu só estou cansada desses pensamentos voltados para você. E toda vez em que eu penso que esqueci… lá está você. Vigiando cada passo meu. Esse não é momento. Não quero mais me pegar sorrindo quando você diz algo bonito para mim. Chega. Eu tenho os meus motivos, só não quero perde-los.

Então… em cada suspiro meu, cada pensamento, cada sentimento, na qual eu sei que não existe. Eu decidi – por mais que doa lutar contra isso. Eu… eu escolhi não gostar de você. Sinto muito.

Feliz Aniversário Robert Pattinson ♥

Feliz Aniversário Robert Pattinson ♥

Há 28 anos nascia uma das maiores inspirações para mim, Robert Pattinson! E como eu sempre tenho o costume de parabenizar os meus ídolos favoritos aqui no blog, eu não podia deixar passar essa data tão querida para mim!

Todos vão dizer que isso é bom bobagem – e sim, essa é um dos clichês que eu mais ouço -, porém não é uma bobagem. Assim como a Kristen, Rob sempre será importante na minha vida e lhe agradeço por todos os ensinamentos. Parabéns! Parabéns pelo seu dia e que venham mais 28 anos de vida! Que durante a sua jornada na Terra, você tenha muita saúde, paz, amor, sucesso, alegria, sabedoria, mais saúde e paz! Que Deus lhe proteja de todo o mal e que Ele sempre te guie nessa longa jornada! Talvez você nunca veja isso, mais é muito importante essa pequena homenagem que eu uma mera mortal possa lhe dar. Mais uma vez agradeço por ser uma inspiração e obrigada por me salvar – sim, me salvar – e me mostrar coisas que eu nunca imaginei fazer na vida! Felicidades e tudo de bom meu amor!

Obrigada mais uma vez por ser um ídolo (e lindo) tão incrível. Eu te amo

Feliz Aniversário Kristen Stewart ♥

Feliz Aniversário Kristen Stewart ♥

Como de costume eu sempre apareço aqui no blog para parabenizar uma das grandes inspirações da minha vida Kristen Jaymes Stewart. Talvez eu saiba que ela não pode estar lendo isso agora. Talvez ela nem saiba que eu exista. Mais lá no fundo do meu coração eu sei que ela sabe. Essa mulher, desde o momento em que a vi, me trouxe tantas perguntas, tantas coisas… que hoje fazem parte do que eu sou. Eu agradeço por nunca ter mudado quem ela é. Por ser uma pessoa tão incrível e maravilhosa. E cada aniversário seu, eu tenho orgulho de desejar parabéns e que Deus sempre a proteja. Que ela continue com esse brilho especial. Que ela continue sempre inspirando as pessoas. Tal inspiração me ajudou a descobrir quem eu sou de verdade. Não existe palavras para descrever um amor de fã pelo seu ídolo. Eu só desejo muito sucesso e que ela sempre possa enfrentar todos os obstáculos que a vida impõe. Parabéns Kristen, por mais um ano de muitos. E eu só agradeço por ser uma inspiração para mim. E não. Não tenho vergonha de dizer eu te amo, pois de alguma forma você sente isso por todos os seus fãs, como eu, que sempre vão te apoia-la em cada trabalho, em cada momento de sua vida.

Obrigada por existir

Você se lembra? Talvez?

Faz tempo que não conversamos, não acha? E nesse curto tempo você nem se quer notou o quão me entristece quando não nos falamos. Aí eu me pergunto: por que você simplesmente me adicionou e me disse “olá”? Qual é o sentido disso tudo? Talvez seja o simples fato de você não ter gostado de algo que eu disse, mais eu reli a nossa conversa tantas e tantas vezes para achar esse erro e nada. Qual o sentido de você me prometer que vamos à praia e tomar aquele sorvete de flocos com pistache? Pode ser que você não goste dos sabores, mas podemos mudar isso. Você se lembra das promessas e dos elogios? Você talvez não tenha a noção disso tudo ou que conversar com você me trouxe uma certa paz.

Nós temos as nossas diferenças… claro que sim. Você se lembra quando disse que queria passar horas e horas me abraçando? Talvez eu queria isso também. Porém você não me deu uma oportunidade. Eu percebi que você não gosta de conversar muito e nem eu… a minha timidez não me ajuda em nada. Mais parecia que você queria algo mais… eu não estou dizendo que quero um amor louco. Eu só quero simplesmente alguém que eu possa zelar e que faça o mesmo por mim. Alguém que me faça sorrir nos meus dias mais sombrios; alguém que me leve para tomar sorvete ou surfar. Talvez tenha algo em você que me faça querer mais. Você se lembra das incertezas que você deixou nas entrelinhas daquele dia? Você se lembra… talvez que ainda possa existir um “nós“?

Acompanhem o Camafeu da Lia nas redes sociais: FacebookInstagramTumblr e Twitter.

Dezembro

Era o primeiro dia de dezembro, as aulas não tinham acabado e eu esperava ansiosa para encontrar aqueles par de olhos castanhos com um toque de mel. Sim, eu estava apaixonada por um cara ao qual eu não sabia quase nada. Simplesmente rondei o pátio o procurando e nada.
Eu estava sozinha sentada no banco perto do jardim, sentindo o vento gelado bater contra o meu rosto – era uma noite calma, tudo estava calma.
Suspirei. Ele não devia ter vindo a aula hoje. Então, decidi levantar… mais quando eu virei para a minha direção oposta lá estava ele – do outro lado do jardim – encostado em uma árvore. Quando meus olhos encontram os deles, um sorriso escapou de seus lábios e aquilo encheu o meu coração.
Eu não entendia o por que de aquilo tudo. O por que do simples fato de meu coração palpitar mais forte toda vez que eu o via. Nas poucas vezes em que nos falamos, conversamos sobre um pouco de tudo – sobre o curso dele, sobre o meu, quais bandas e filmes preferidos –, nada muito revelador.
Ele fez sinal para que eu fosse até lá e eu franzi a testa – estranho. Afinal, era muito difícil nós ficarmos sozinhos. Mas, mesmo assim fui até ele e a cada passo meu peito se enchia.
Quando a distância entre nós era curta, ele se aproximou de mim e pegou a minha mão, beijando o topo dela e depois me puxando para um abraço.
Aquilo foi tão estranho, mais tão bom – muito bom – que quando eu sai de seus braços e olhei para a sua face e principalmente seus olhos vi algo que eu não esperava. Ele nunca havia me olhado daquele jeito. A intensidade de seus olhos me fizeram abaixar a cabeça para esconder o rubor de minhas bochechas.
Ele se apressou e pegou no meu queixo levantando o meu rosto. Seu toque era como brasas queimando a minha pele – que estava fria –, fechei os olhos e suspirei. Eu não entendia o que acontecia ali, mais desde que cheguei perto dele não fora dito nenhuma palavra. Só se ouvia o silêncio. Mas as palavras que foram ditas logo em seguida deixaram-me com as pernas moles e o coração quase saindo pela boca.
– Eu gosto de dezembro… – começou ele e eu franzi a testa, não entendendo o que ele queria falar. Ele sorriu e continuou se aproximando mais de mim. – Eu gosto de… você – dito aquelas palavras, ele quebrou o restante da distância entre nós e me beijou.

Gostaram? Não deixem de comentar (:

Acompanhem o Camafeu da Lia nas redes sociais: FacebookInstagramTumblr e Twitter.

Essa noite eu sonhei com você

Se passava mais da meia noite e eu simplesmente não conseguia dormir, apesar do cansaço os meus pensamentos pairavam sobre a minha cabeça, às vezes chegava a ser insuportável. Logo depois de muita insistência eu caí no sono e não vi mais nada – fora assim que eu pensava.

Era um fim de tarde e eu estava caminhando de volta para casa, quando de repente sinto uma mão no meu braço. Acabei me virando assustada e me deparo com olhos castanhos claros. Nada fora dito naquele momento. Ele – o guri da sala à frente da minha – me olhava de um jeito estranho. Eu já tinha falado com ele e já tinha saído com um grupo de amigos, no qual ele também estava. Aparentava ser um garoto legal, sempre que me deparava olhando para ele, vi que sempre estava sorrindo. Algumas amigas minhas já me disseram que ele me fitava às vezes durante o nosso intervalo, mais eu nunca liguei.

Depois de um longo tempo nos entre olhando eu decidi falar mais nada saiu da minha boca, eu simplesmente abri e a fechei no instante seguinte. O guri à minha frente franziu as sobrancelhas e sorriu. Era um sorriso calmo e de tirar o fôlego – eu disse isso mesmo?

– Eu… eu… – ele sussurrou.

– Você? – eu perguntei.

Ele não disse mais nada, apenas me puxou para perto e me beijou.

Acordei junto com o despertador marcando às seis horas e com a respiração ofegante. Eu não me lembrava de muita coisa no sonho, mais sabia que tinha tido um sonho bom, muito bom por sinal. Talvez fosse a carência – ri para mim mesma – ou simplesmente por que as minhas amigas tinham comentando sobre o guri da sala da frente. Me levantei e fui direto para o banheiro fazer minha higiene pessoal, logo após me trocando e pegando uma fruta na cozinha, saindo em direção à escola técnica – o dia seria longo.

Algumas horas depois o sinal para o intervalo tocou e eu desço para o pátio e ele – o guri da sala à frente – estava lá, sentando em uma mesa no canto junto com o restante do pessoal e com as minhas amigas que estavam lá também.

Me aproximo da turma com cautela – ser tímida é uma droga.

– Oi! – falo cumprimentando à todos.

Me sentei ao lado dele – era o único lugar sobrando – e misturei-me entre as conversas que nem vi o tempo passar quando o sinal tocou novamente. Todos foram saindo e eu fui me levantando quando sinto uma mão segurando meu pulso.

– Espera! – pediu o guri.

Eu o olhei e franzi a testa. Ele acabou tocando a minha testa e eu simplesmente me acalmei com o seu toque.

– Você quer me falar algo? – perguntei com medo da resposta.

– Sim – disse ele me fitando.

Eu apenas acenei com cabeça, incentivando ele a falar. O guri da sala da frente respirou fundo, parecia que estava tomando coragem para falar e eu acabei lembrando do sonho em que tive com ele – acabei ficando vermelha por conta do meu pensamento.

– Eu… eu… – ele sussurrou.

– Você? – eu perguntei.

Parecia que algo ia se repetir naquele instante – como um dejavú.

– Essa noite eu sonhei com você – disse ele por fim.

Me assustei com suas palavras e sorri.

– Essa noite eu sonhei com você – repeti as mesmas palavras que ele e abaixei a cabeça para esconder o rubor das minhas bochechas.

O que aconteceu depois me pegou de surpresa. O guri da sala da frente me puxou para perto e me beijou.

– Essa noite eu sonhei com você – disse entre o beijo e ele sorriu.