Feliz Aniversário Robert Pattinson ♥

Feliz Aniversário Robert Pattinson ♥

Há 28 anos nascia uma das maiores inspirações para mim, Robert Pattinson! E como eu sempre tenho o costume de parabenizar os meus ídolos favoritos aqui no blog, eu não podia deixar passar essa data tão querida para mim!

Todos vão dizer que isso é bom bobagem – e sim, essa é um dos clichês que eu mais ouço -, porém não é uma bobagem. Assim como a Kristen, Rob sempre será importante na minha vida e lhe agradeço por todos os ensinamentos. Parabéns! Parabéns pelo seu dia e que venham mais 28 anos de vida! Que durante a sua jornada na Terra, você tenha muita saúde, paz, amor, sucesso, alegria, sabedoria, mais saúde e paz! Que Deus lhe proteja de todo o mal e que Ele sempre te guie nessa longa jornada! Talvez você nunca veja isso, mais é muito importante essa pequena homenagem que eu uma mera mortal possa lhe dar. Mais uma vez agradeço por ser uma inspiração e obrigada por me salvar – sim, me salvar – e me mostrar coisas que eu nunca imaginei fazer na vida! Felicidades e tudo de bom meu amor!

Obrigada mais uma vez por ser um ídolo (e lindo) tão incrível. Eu te amo

Anúncios

Dezembro

Era o primeiro dia de dezembro, as aulas não tinham acabado e eu esperava ansiosa para encontrar aqueles par de olhos castanhos com um toque de mel. Sim, eu estava apaixonada por um cara ao qual eu não sabia quase nada. Simplesmente rondei o pátio o procurando e nada.
Eu estava sozinha sentada no banco perto do jardim, sentindo o vento gelado bater contra o meu rosto – era uma noite calma, tudo estava calma.
Suspirei. Ele não devia ter vindo a aula hoje. Então, decidi levantar… mais quando eu virei para a minha direção oposta lá estava ele – do outro lado do jardim – encostado em uma árvore. Quando meus olhos encontram os deles, um sorriso escapou de seus lábios e aquilo encheu o meu coração.
Eu não entendia o por que de aquilo tudo. O por que do simples fato de meu coração palpitar mais forte toda vez que eu o via. Nas poucas vezes em que nos falamos, conversamos sobre um pouco de tudo – sobre o curso dele, sobre o meu, quais bandas e filmes preferidos –, nada muito revelador.
Ele fez sinal para que eu fosse até lá e eu franzi a testa – estranho. Afinal, era muito difícil nós ficarmos sozinhos. Mas, mesmo assim fui até ele e a cada passo meu peito se enchia.
Quando a distância entre nós era curta, ele se aproximou de mim e pegou a minha mão, beijando o topo dela e depois me puxando para um abraço.
Aquilo foi tão estranho, mais tão bom – muito bom – que quando eu sai de seus braços e olhei para a sua face e principalmente seus olhos vi algo que eu não esperava. Ele nunca havia me olhado daquele jeito. A intensidade de seus olhos me fizeram abaixar a cabeça para esconder o rubor de minhas bochechas.
Ele se apressou e pegou no meu queixo levantando o meu rosto. Seu toque era como brasas queimando a minha pele – que estava fria –, fechei os olhos e suspirei. Eu não entendia o que acontecia ali, mais desde que cheguei perto dele não fora dito nenhuma palavra. Só se ouvia o silêncio. Mas as palavras que foram ditas logo em seguida deixaram-me com as pernas moles e o coração quase saindo pela boca.
– Eu gosto de dezembro… – começou ele e eu franzi a testa, não entendendo o que ele queria falar. Ele sorriu e continuou se aproximando mais de mim. – Eu gosto de… você – dito aquelas palavras, ele quebrou o restante da distância entre nós e me beijou.

Gostaram? Não deixem de comentar (:

Acompanhem o Camafeu da Lia nas redes sociais: FacebookInstagramTumblr e Twitter.

Dele para ela (Escrito por Raí Writes) ♥

“Ok. Certo. Não sei bem como começar essa carta. Ah, antes que eu me esqueça, desculpa pela letra feia. Juro que estou tentando fazer meu melhor. Pra tentar te impressionar. Vou tentar ser direto. Ainda te amo. Mesmo depois de três vezes pisando na bola. Ainda lembro do nosso primeiro beijo. Naquela festa da cidade. Em Junho. Dia doze. No meio de todas aquelas pessoas. Calor. Som alto. Nós. Nosso beijo.

Das três vezes que tentamos, eu estraguei tudo. Coloquei tudo a perder. Escolhi, entre o para sempre e o nunca mais, uma opção que não existia. Das três vezes que tentamos, eu disse adeus. Mas na última, eu chorei. Talvez por que no fundo sabia que aquela seria a última vez. Seu coração já estava cansado. Te quis de volta. Mas já era tarde. Tarde demais. Sabe o que eu mais queria agora? Um beijo e um abraço seu. Você aqui comigo. Poder te chamar de minha outra vez. Cara, doí demais saber que eu dessa vez eu te perdi para sempre. Que nossos momentos juntos não passam de lembranças. Que o que vivemos é um passado que não volta mais.

Uma simples carta não é suficiente para me desculpar. Por tudo. Pelas noites mal dormidas. Pelas brigas. Pelos dias chorando. Pela preocupação. Pelas vezes que você ficou esperando uma ligação que nunca veio. Mas eu precisava encontrar uma maneira de dizer o que estava preso dentro de mim.

Essa noite dormi tarde esperando mais uma mensagem sua que nunca veio. Sonhei com o passado e esqueci o presente. Sonhei com um futuro que não existe mais. Eu disse adeus. Vamos confessar: você e eu já sabíamos onde tudo isso ia terminar. Você já sabia o fim. Nossa história era como um filme que já assistimos milhões de vezes. A história não muda. Por mais que a gente queira.

É isso. Seja feliz. Eu te amo.”

(Autor: Raí Writes – Via)